Entenda o DOT do pneu do seu veículo

Depositphotos_186835472_s-2019 (1) (1) (1) (1)

DOT do pneu é um código alfanumérico usado para indicar diversas informações sobre o componente, incluindo sua data de validade. Agora, no Brasil, esse código passou a adotar um novo formato. É importante se manter atualizado com a mudança, já que pneus são fundamentais na preservação da segurança ao volante. 

No novo formato, o código tem 13 dígitos e indica, também, a planta na qual foi fabricado. Logo após a marcação da sigla, que significa Department of Transportation, o primeiro número, anteriormente com dois dígitos e atualmente com três, indica a empresa e também a fábrica que produziu o pneu. Caso uma fabricante fechar uma planta de produção, ela pode reutilizar o código para outra localidade. Contudo, não é possível transferi-lo para outra fabricante.

Ler a marcação com o DOT do pneu é algo bem simples, mas poucas pessoas sabem responder a essa questão e saber o tamanho do pneu. Além disso, é importante não confundir a medida do pneu com as informações que estão na etiqueta do pneu (Inmetro). Para ler a medida do pneu você precisa olhar para a lateral dele. Os pneus possuem do lado uma espécie de “documento de identidade”.

O que significa o DOT do pneu de cada veículo

Como na imagem principal, o exemplo é 235/40R18, levando em consideração as informações que determinam qual é o modelo de pneu do veículo:

 235 – Largura do pneu em milímetros. 

 40 – Indica é o percentual da largura do pneu, no caso 40%. 

 R – Tipo de construção do pneu, significando radial, neste caso.

18 – Diâmetro interno do pneu em polegadas (diâmetro do aro).

Índices de carga do pneu

Além do DOT do pneu, existem outros índices para identificar as características do produto. Um deles é o índice de carga, que indica a carga máxima que o pneu pode suportar dentro das questões de segurança. Os números variam de acordo com o veículo e é necessário consultar uma tabela de correspondências, com um responsável, para determinar a carga em kg para cada índice.

Não sobrecarregue seu veículo

Verifique no manual do proprietário do veículo para determinar os limites de carga. Sobrecarregar o veículo coloca estresse sobre os pneus e outros componentes essenciais do veículo. Sobrecarregar um veículo pode causar má condução, aumento do consumo de combustível e falhas nos pneus. Sobrecarregar os pneus pode resultar em ruptura grave, separação de componentes ou “explosão”. Nunca instale pneus novos no veículo que tenham capacidade de carga inferior àquela indicada na etiqueta de pneus do veículo, e lembre-se de que a largura ideal do aro é importante para a distribuição de carga e funcionamento dos pneus.

Indicador de desgaste 

O elemento mais importante a se ficar atento talvez seja o chamado TWI, ou simplesmente indicador de desgaste. Trata-se de pequenos “calombos” espalhados pelos sulcos, responsáveis por mostrar quando o nível de profundidade atingiu ou superou o mínimo exigido pela legislação, 1,6 milímetro. 

Para verificar se os pneus do seu veículo ainda têm margem de desgaste ou se já precisam ser trocados, basta procurar nas bandas laterais pela sigla denominada TWI, que apontará o indicador de desgaste mais próximo. 

Lembre-se que pneus com sulcos pouco profundos ou “carecas” são menos capazes de dispersar a água em caso de chuva, o que aumenta sensivelmente os riscos de aquaplanagem, perda de controle e, claro, acidentes. 

Dimensões, origem e capacidades 

Outro ponto importante é saber identificar as dimensões dos pneus, especialmente na hora de comprar um jogo novo. Se você está querendo trocar o jogo de pneus original por outro com dimensões diferentes tenha cuidado, pois cada alteração pode acarretar mudanças em dinâmica de condução, conforto de rodagem e até desgaste das suspensões. 

Caso você mesmo vá fazer a troca de um pneu, procure confirmar pela banda de rodagem se ele é simétrico ou assimétrico. Para isso basta conferir se as duas metades possuem desenhos “espelhados” de sulcos. Em caso de assimetria, é preciso encontrar nas bandas laterais qual a parte deve ficar voltada para fora. Montar um pneu assimétrico do lado errado pode gerar problemas de equilíbrio do carro.

Por fim, o seu pneu será “radial” ou “diagonal”, e “tubeless” (sem câmara de ar) ou “tube type” (com câmara). Os exemplares radial e sem câmara são os mais usados e indicados atualmente, porque os fios da carcaça do radial são montados de maneira perpendicular ao plano de rodagem. 

E a principal vantagem de um pneu radial é o nível de fricção muito menor nas lonas é muito menor, o que ajuda a aprimorar resistência e durabilidade do composto. Em relação aos pneus sem câmara, além de ser mais leves e fáceis de montar/desmontar, por possuírem um elemento a menos, são dotados de uma borracha que ajuda a reter melhor o ar. Sendo assim, quando o pneu é perfurado, o esvaziamento é mais lento e gradativa, evitando reações bruscas e preservando a segurança. 

Estrutura e Corte Transversal do Pneu

Ao contrário dos pneus de bicicletas, os pneus de carro apresentam um tubo que consiste em diferentes camadas e um corte transversal. A camada mais externa é a banda de rodagem do pneu, que geralmente é perfilada e deve assegurar o melhor desempenho do pneu na estrada. Muitos compostos da banda de rodagem dispõem de um elevado índice de sílica e promovem uma aderência bastante eficaz. 

Sua subestrutura é chamada de carcaça e em geral apresenta multicamadas, sendo construída diferentemente de acordo com cada tipo de pneu. A carcaça é protegida de danos pela banda de rodagem e a pela parede lateral do pneu. Um outro componente importante da estrutura deste pneu são os fios de aço que conectam o pneu ao aro. No interior de cada pneu há uma camada de borracha para isolamento, evitando assim que o ar escape com facilidade.

Dica Extra

Você acabou de comprar pneus novos e percebeu que existem algumas linhas coloridas na banda de rodagem deles, podendo ser vermelhas, azuis ou brancas, por exemplo. Elas não possuem significado nenhum para o consumidor final, são usadas apenas pelos fabricantes.

As linhas coloridas têm a função de servir como referência dentro das fábricas durante os processos de inspeção, ajudando a identificar as medidas dos pneus, evitando a mistura de medidas diferentes e DOT do pneu, tanto no depósito como também durante o transporte.  As linhas na banda de rodagem não estão relacionadas à qualidade do produto. Normalmente, as linhas coloridas na banda de rodagem são aplicadas durante sua produção. Isso quer dizer que as cores já estão definidas e são aplicadas antes de o pneu “ficar pronto” de fato. 

Em resumo, as linhas são usadas para organizar e controlar o processo produtivo e não como um recurso de controle de qualidade. E o DOT do pneu para indicar informações componentes do pneu e te auxiliar a identificar o ideal para seu veículo. Gostou? Deixe seu comentário e compartilhe com os amigos.  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter